Uma parte cada vez maior dos cientistas está apoiando uma engenharia genética à qual chamam de “biologia sintética”. Eles estão trabalhando em um sistema que se comporta de formas previsíveis, que utilize partes intercambiáveis de DNA e, em alguns casos, que opere com um código genético extenso, permitindo que o organismo faça por si só o que não consegue fazer naturalmente. A idéia é introduzir esse sistema em microrganismos para criar organismos vivos e programáveis. Certos microrganismos, segundo os cientistas, podem digerir o explosivo e cancerígeno químico TNT, por exemplo. Assim, não poderiam, dentro dessa capacidade, iluminar o local contaminado com minas terrestres?
Fonte: Scientific American