Flickr: Rafael Castillo

Plantações de laranja nos Estados Unidos têm sido devastadas desde 2005 pelo greening, uma doença bacteriana que torna as frutas verdes e amargas. O mal é causado por microrganismos do gênero Candidatus Liberibacter e é transmitido por um inseto chamado psilídeo-asiático-dos-citros (Diaphorina citri).

Para conter a rápida proliferação dessa praga, cientistas lançaram mão de uma estratégia ousada. Há anos eles vinham introduzido em árvores de citros genes do espinafre que conferiam algum nível de proteção contra a doença. Entretanto, como o ciclo reprodutivo das plantas é mais longo, essa abordagem poderia levar muitos anos para se tornar viável, razão pela qual os pesquisadores voltaram suas atenções para o vírus da tristeza dos citros (CTV).

Uma linhagem inofensiva do vírus foi geneticamente modificada para expressar o gene do espinafre que confere resistência ao grenning. As árvores, em contato com vírus transgênico, tornariam-se imunes à doença. Segundo um dos responsáveis pela pesquisa, Tim Eyrich, essa estratégia não traria qualquer alteração biológica às plantas.

Outros esforços para combater a atuação da bactéria nas plantações de laranja em solo norte-americano incluem o desligamento dos genes relacionados à transmissão no inseto vetor, por meio da interferência em seu RNA, e a edição dos genomas das árvores de citros pela técnica CRISPR-Cas9, que permite alterar o DNA com extrema precisão e modificar seu funcionamento apenas na parte desejada.

 

Fonte: Nature, maio de 2017.