Cultivada em todo o mundo, especialmente em lugares de clima relativamente frio, como as regiões andinas e temperadas, a batata é o quarto cultivo alimentar mais importante do planeta. Lamentavelmente, os pés de batata são sensíveis ao congelamento, e incapazes de aclimatarem-se ao frio – a mais leve exposição a temperaturas abaixo de zero reduzem significativamente o rendimento, e duras geadas podem destruir o cultivo por completo.

Por isso, o melhoramento para a tolerância a geadas é muito importante para a batata. Ainda que possam existir exemplares de batatas silvestres aclimatados ao frio, a transferência desta característica por métodos naturais é muito difícil, devido a sua competitividade genética e a possibilidade de “carregamento” de outros genes indesejados.

A equipe liderada por Tony Chen, da Universidade Estadual do Oregon, introduziu em plantas de batata os genes AtBCF de Arabidopsis associados a tolerância a geadas juntamente com um elemento regulador da expressão (chamado promotor) que os ativa somente em condições de muito frio. Assim, obtiveram linhagens de batata tolerantes a condições extremas de temperatura, a menos de -5°C. Ainda, observaram que o uso do promotor induzido pelas baixas temperaturas minimizam o aparecimento de traços indesejados como atraso da floração e do crescimento, previamente atribuídos a atividade dos genes AtBCF.

O resumo deste artigo pode ser visualizado em

http://www.blackwell-synergy.com/doi/abs/10.1111/j.1467-7652.2007.00269.x.

Fonte: Seedquest – 14 de setembro de 2007