A população mundial deverá chegar a 9 bilhões de habitantes em 2050. Para atender à demanda correspondente por alimentos, será necessário agregar, cada vez mais, tecnologia aos processos produtivos. Com o objetivo de discutir o papel que a agricultura brasileira terá nesse cenário, a Sociedade Rural do Paraná (SRP) realiza o “Fórum do Agronegócio – O Brasil e o desafio de alimentar o mundo” no dia 4 de abril, no Recinto Horácio Sabino Coimbra, no Parque de Exposições Ney Braga, dentro da programação da 57ª Exposição Agropecuária e Industrial de Londrina.

O evento pretende debater o agronegócio como uma cadeia integrada que, embora tenha diferentes vozes e atuações, compartilha o objetivo de produzir de forma sustentável. O fórum será composto de cinco painéis cujos temas são “O Brasil e o desafio de alimentar o mundo”, “Sustentabilidade e interação na cadeia produtiva: o exemplo do Brasil para o mundo”, “Agricultura, tecnologia e inovação sustentável”, “O Brasil e a pecuária sustentável” e “Comunicação entre o urbano e o rural: por que não se falam?”.

A diretora-executiva do Conselho de Informações sobre Biotecnologia (CIB), Adriana Brondani, presente em um painel, afirma que o uso de tecnologias é fundamental aumentarmos a produção sem a necessidade de expandir a área plantada na mesma proporção. “Dados da consultoria britânica PG Economics mostram que a biotecnologia é uma aliada valiosa da sustentabilidade: em 19 anos de adoção de sementes transgênicas no mundo inteiro, essas culturas foram responsáveis por uma produção adicional de 514,1 milhões de toneladas de soja, milho, algodão e canola”.

Segundo a bióloga, essa produção extra se deve à redução de perdas, resultando em incremento de produtividade e, consequentemente, diminuição da pressão sobre florestas e zonas de preservação ambiental. Isso significa que, se a biotecnologia agrícola não estivesse disponível, a manutenção dos atuais níveis de produção global exigiria uma maior área plantada.

Além de Adriana, também estarão no Fórum o Presidente da Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG), Luiz Carlos Corrêa Carvalho; o diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa, Ladislau Martin Neto; o Chefe Adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Pecuária Sudeste, Alexandre Berndt e outros especialistas e lideranças do Agronegócio.

Para outras informações, acesse http://expolondrina2017.com.br/forumdoagronegocio.

 

Fonte: Redação CIB, 28 de março de 2017