300x200genecerebrohumanoOs seres humanos compartilham aproximadamente 99% de seus genes com chimpanzés. Entretanto, embora apenas alguns genes marquem a diferença entre homens e os macacos, entre eles, há uma importantíssima característica: o tamanho  do cérebro. O nosso é três vezes maior do que o de um chimpanzé, por exemplo. Ao longo da evolução, nosso genoma provavelmente foi modificado para disparar esse gatilho genético responsável pelo crescimento do cérebro. Pela primeira vez, pesquisadores do Instituto Max Planck, na Alemanha, liderados pelo cientista Wieland Hunter, identificaram o gene que está presente apenas nos seres humanos e nos nossos parentes mais próximos (os Neandertais e os hominídeos de Denisova).

O gene ARHGAP11B contribui para a reprodução das células cerebrais e é provavelmente uma das características que resultaram na expansão do córtex humano. Essa hipótese é fortalecida pelo estudo conduzido recentemente pelos pesquisadores do Instituto Max Planck no qual eles inseriram esse gene em fetos de camundongos e, como resultado, houve duplicação das células que dão origem aos neurônios no córtex cerebral dos roedores. A pesquisa é uma das primeiras tentativas de usar o genoma para entender como a evolução humana ocorreu.

Segundo Hunter, ainda não é possível saber o que o mecanismo que leva a essa proliferação aumentada de células cerebrais. O fato de esse gene estar também presente em parentes próximos dos seres humanos sugere que, apenas da mutação ter ocorrido há muito tempo, a diferenciação nos cérebros parece ter sido um fenômeno mais recente, 500 mil anos. Segundo o pesquisador alemão, uma possibilidade é que essa mutação tenha acontecido no DNA do Homo erectus, primeiro ancestral do homem a ter passado por grande aumento em sua capacidade cerebral. O estudo foi publicado na revista científica Sciences Advances.

Fonte: Instituto Max Planck e Sciences Advances, dezembro de 2016