Uma traça bem diferente da que costumamos ver em roupas poderá ser uma aliada no controle de pragas em lavouras. Machos das Traças-das-crucíferas (Plutella xylostella) estão sendo geneticamente modificados para transferir um gene letal à prole.

A maneira de controlar pragas com a traça transgênica seria parecida com o método já empregado para reduzir a população de mosquitos da dengue com o Aedes aegypti geneticamente modificado (GM).  A biotecnologia insere nos insetos machos um gene que evita a sobrevivência da prole até a idade adulta. Liberando esses machos inofensivos às culturas na natureza, eles acasalam com as fêmeas, mas nenhum de seus descendentes torna-se viável, reduzindo, portanto, a população de pragas.

A traça-das-crucíferas transgênica já passou por ensaios em laboratório e estufa e será agora testada em campo, na Flórida (EUA). Há décadas, pesquisadores do setor agrícola têm lutado contra pragas de difícil controle. A traça em questão, que na fase adulta vira uma mariposa de coloração parda, tem um ciclo reprodutivo curto e põe muitos ovos, o que aumenta seu potencial de prejuízo às lavouras. Segundo os pesquisadores responsáveis, as perdas causadas pela traças-das-crucíferas podem chegar a US$ 5 bilhões por ano em todo o mundo.

Fonte: Wired, maio de 2017.