Fruto geneticamente modificado (GM) possui maior resistência à doença causada pela deficiência de cálcio

Cientistas da Universidade de Purdue, nos Estados Unidos, desenvolveram um tomate transgênico resistente à podridão apical, caracterizada pelo escurecimento de uma parte do tecido que reveste o fruto. Essa doença, causada pela deficiência de cálcio nos tomates, é um dos maiores problemas para os produtores.

Os pesquisadores de Purdue, Elizabeth Mitcham e Sergio Tonetto de Freitas, recorreram ao estudo do professor Avtar Handa, realizado há mais de 20 anosna Universidade da Califórnia, que resultou em tomates transgênicos com suco mais concetrado e cuja produtividade era 10% maior do que a de variedades convencionais. Entretanto, o que os cientistas de Purdue buscavam neste tomate transgênicos era sua comprovada capacidade para armazenar cálcio.

Segundo os pesquisadores, as chances da podridão apical aparecer nessa nova variedade são até 62% menores que em frutos comuns. Agora em Purdue, as pesquisas com o tomate GM vão prosseguir com foco na relação entre o nutriente cálcio e a resistência a doenças. Além disso, novos testes para evitar a doença serão realizados em maçãs, melancias, pimentas e alfaces.

Fonte: Universidade de Purdue – maio de 2012