DNA-AA-300x200Pesquisadores da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) estudam a possibilidade de incluir no Sistema Único de Saúde, o SUS, um método específico de sequenciamento de DNA para ajudar no diagnóstico de doenças genéticas. De acordo com o levantamento, essa técnica consistiria no mapeamento de uma parte do DNA onde estão localizadas as proteínas vitais para o funcionamento do organismo, o correspondente a 2% do genoma completo.

Segundo a chefe do Departamento de Genética Médica da Unicamp, Iscia Lopes-Cendes, o método é bem mais rápido e barato que o sequenciamento convencional. “Atualmente, conseguimos fazer esse mapeamento por cerca de R$ 1.700, enquanto o sequenciamento completo do genoma sairia em torno de R$ 30 mil”, explica. Ainda de acordo com a pesquisadora, a maioria das mutações genéticas causadoras de doenças está localizada nas partes do DNA responsáveis por codificar aminoácidos.

Antes de o método ser implantado no SUS, no entanto, ele deverá passar por uma análise detalhada de custo-efetividade. Lopes-Cendes acredita que o diagnóstico precoce possibilita a adequação do tratamento à doença e, assim, o torna mais eficiente. Mesmo para casos em que não há terapia específica disponível, o sequenciamento poderá ajudar na redução de gastos com exames desnecessários. O estudo deverá durar aproximadamente quatro anos, será realizado no âmbito do Instituto Brasileiro de Neurociências e Nanotecnologia e já se mostrou útil na identificação de mutações genéticas causadoras de problemas cerebrais, metabólicos e outras doenças.

Fonte: Agência Fapesp – Junho de 2013