Pesquisadores da Organização de Pesquisa Científica e Industrial (CSIRO) da Austrália estão desenvolvendo uma variedade de feijão-de-corda geneticamente modificado para resistir à broca-da-vagem – uma das mais nocivas pragas da cultura. O estudo consiste na introdução de genes Bt, semelhantes ao utilizado no algodão contra as lagartas de Helicoverpa, na planta. De acordo com o cientista chefe do Departamento de Plantas da CSIRO, Thomas Higgins, a tecnologia, depois de concluída, será cedida ao continente africano. O feijão-de-corda é a principal fonte de proteínas para mais de 200 milhões de pessoas da África Sub-Saariana. Espera-se que os países africanos sejam capazes de desenvolver por si mesmos a variedade transgênica. A pesquisa é apoiada pela Fundação Africana de Tecnologia Agrícola e pela Fundação Rockfeller.