O algodão Bt, que contém toxinas da bactéria Bacillus thuringiensis, foi introduzido para combater as pragas Heliothis virescens and Heliothis zea (Lepidoptera: Noctuidae) nos EUA. O algodão Bt é específico para insetos da Ordem Lepidotera (mariposas e borboletas) o os sintomas da toxina que a planta GM expressa incluem paralisia, alteração da permeabilidade celular e do pH do intestino dos insetos, que por isso param de se alimentar, se desidratam e morrem. O cultivo do algodão Bt, assim, permite que o agricultor utilize menos quantidade de inseticidas nos programas de manejo integrado de pragas.