Novas variedades de algodão geneticamente modificado poderão produzir fibras de mais qualidade nos EUA, nos próximos seis anos, segundo resultados de testes conduzidos por cientistas de universidades de 16 diferentes Estados. “Podemos antecipar inclusive outras grandes melhorias nos próximos anos”, disse o chairman da National Cotton Council (NCC), Kenneth Hood. “A engenharia genética”, enfatiza o cientista, “está evoluindo e, ao empregar essa tecnologia, poderemos maximizar seu potencial”.

Os testes que compararam a qualidade entre o algodão transgênico e o convencional já foram mostrados a mais de 400 compradores mundiais de algodão.

Clique aqui para conferir a íntegra do texto em inglês.