Desde que começou a ser cultivado, há seis anos, a produtividade do algodão aumentou em até 24%

Antes um país importador, hoje a Índia é a segunda nação que mais produz e vende algodão no mundo. Essa é uma das conclusões do estudo desenvolvido pela Academia Nacional de Ciências (PNAS), dos Estados Unidos, sobre os impactos da introdução do algodão geneticamente modificado (GM) na Índia. Segundo a pesquisa, na qual foram analisados os aspectos agronômicos, sociais e econômicos da variedade GM, a produtividade indiana aumentou 24% entre 2002 e 2008, devido à redução de perdas causadas por pragas. Além disso, dados oficiais mostram que o número de pequenos produtores de algodão na Índia cresceu em até 50% nesse mesmo período.

O ingresso desses agricultores no país fez com que o consumo da planta pelas famílias crescesse 18% entre 2006 e 2008, o que evidencia a melhoria na qualidade de vida dessas mesmas famílias. O levantamento aponta ainda para os constantes benefícios aos quais os agricultores da Índia têm tido acesso desde então. De acordo com a publicação, o aumento da produtividade de algodão contribui ativamente para o desenvolvimento econômico e social do país, um dos mais populosos do mundo.

Fonte: PNAS – Julho de 2012