Uma boa notícia para os produtores de feijão foi publicada na edição de junho da revista Agricultural Research. Cientistas do Centro de Pesquisa Agrícola do Instituto Beltsville, dos Estados Unidos, desenvolveram cinco variedades transgênicas do grão resistentes a doenças que reduzem a qualidade e o rendimento da colheita e aumentam os custos de produção. O melhoramento foi realizado no feijão mulatinho.

Segundo a geneticista de plantas da Beltsville, Marcial Pastor-Corrales, esta linhagem do cultivar possui mais genes em relação às outras e, por isso, pode resistir a diferentes males, como o mosaico comum, o mosaico da necrose e a oxidação causada pelo fungo Uromyces appendiculatus. Pesquisadores das universidades do Estado da Dakota e do Estado de Michigan também participaram do projeto.

O feijão é uma fonte nutritiva de vitaminas, proteínas, ferro, fosfato, fibras e carboidratos para milhões de pessoas em todo o mundo.