Pesquisadores da Universidade de Purdue, nos Estados Unidos, encontraram a fonte da juventude para tomates e, provavelmente, para outras frutas. A adição de um gene de levedura aumenta a produção do componente que desacelera o envelhecimento e retarda a deterioração por microrganismos nos tomates. Por meio da biotecnologia, o aumento da vida de prateleira do tomate pode chegar a aproximadamente uma semana.

Um dos maiores problemas das culturas é a baixa durabilidade pós-colheita, principalmente em locais com deficiência no sistema de distribuição de alimentos. A utilização desta tecnologia poderá facilitar a distribuição e comercialização de alimentos, diminuindo perdas e desperdícios.

Segundo o pesquisador Avtar Handa, o conhecimento básico para aumentar a vida útil do tomate pode ser aplicado em outras frutas. Tomates totalmente maduros demoraram cerca de oito dias a mais para dar sinais de envelhecimento em comparação com as plantas não-transgênicas. Sinais do tempo relacionados a fungos demoraram três dias a mais.
28/06/2010.