O Instituto Israelense de Tecnologia, em parceria com a Universidade de Hebrew, desenvolveu um novo protocolo para garantir às plantas resistência a herbicida. Para conferir a nova característica, os cientistas utilizaram anticorpos catalíticos, ou seja, agentes que aceleram uma reação química sem, entretanto, serem consumidos por ela. Os anticorpos têm a característica inerente de reconhecer e se ligar especificamente a seu alvo.

O objetivo da equipe foi produzir uma planta capaz de fabricar novas enzimas para decompor os compostos chamados carbamatos, e são responsáveis nos herbicidas, por impedir o crescimento de daninhas nas lavouras. Para obter o catalisador desejado, os pesquisadores cruzaram duas linhagens distintas de planta transgênicas.

“Está claro que nosso objetivo inicial beneficiava a produção de plantas, mas nosso trabalho provou ter implicações muito mais amplas, sugerindo que a expressão in vivo de anticorpos catalíticos pode transformar-se numa estratégia geral para a modificação do fenótipo não somente nas plantas, mas também em outros organismos”, explicou o professor Ehud Keinan, líder dos trabalhos, que trabalha também no Instituto de Pesquisa de Scripps, em La Jolla (Califórnia).

O estudo foi publicado na revista científica Nature Biotechnology.

Fonte: Checkbiotech – 16 agosto 2006