A Argentina, segundo maior exportador de milho do mundo, aprovou para uso comercial o milho GM GA21, da Syngenta e que é tolerante ao herbicida glifosato, assim como o milho RR desenvolvido pela Monsanto. Estima-se que o país cultive de 3 a 3,1 milhões de hectares com milho nessa safra, área menor do que a anterior devido principalmente ao avanço no cultivo da soja GM. Contudo, o governo argentino tem incentivado os agricultores a cultivar o milho, crucial para a reposição de nutrientes no solo. O Secretário de Agricultura da Argentina, Miguel Campos, disse que usando a biotecnologia será possível obter custos de produção que vão possibilitar um sistema de rotação de culturas sustentável.

Fonte: Reuters