O governo da Argentina anunciou a aprovação no país do primeiro milho transgênico com duas características inseridas: resistência a insetos-pragas e tolerância a herbicidas. Após um rigoroso processo de avaliação, a Secretaria de Agricultura argentina, instituição responsável pela regulamentação, liberação e a comercialização de sementes geneticamente modificadas, deu seu parecer favorável à nova tecnologia, garantindo sua segurança para alimentação humana e animal e meio ambiente.

Por unir os dois principais traços benéficos à lavoura, a tecnologia “stack”, como é conhecida, proporciona a redução das aplicações de inseticidas e herbicidas, o que reflete diretamente na preservação ambiental, além de oferecer manejo mais fácil, maior controle ao longo do desenvolvimento da planta e maior produtividade.

Com 18% da superfície global de organismos geneticamente modificados (OGMs), a Argentina continua sendo o segundo país produtor de transgênicos, depois dos Estados Unidos (53%), enquanto o Brasil ocupa o terceiro lugar, com 11%. Atualmente, cerca de 60% da área de milho do país vizinho já é ocupada com o milho resistente a insetos-pragas.

Fonte: Grupo Cultivar – 31 de agosto de 2007