O laboratório de biotecnologia argentino Bio Sidus desenvolveu o primeiro clone transgênico de vaca da América Latina, capaz de produzir leite que contém hormônio humano de crescimento. Com esse passo, a Argentina junta-se a um seleto grupo de seis países que já criaram clones transgênicos de vacas. Para o Bio Sidus, o clone pode significar um aumento razoável de negócios, já que as patentes relativas à medicina biotecnológica nos EUA, Europa e Japão vão expirar em dois anos. Assim, o laboratório argentino pode pular de uma receita de US$ 50 milhões para US$ 200 milhões em cinco anos. A companhia pretende produzir os clones em grande quantidade a preços reduzidos. Foram investidos pelo Bio Sidus US$ 2 milhões no desenvolvimento do clone.

Clique aqui para ler o texto em inglês.