O governo da Argentina simplificou o processo de aprovação de variedades de sementes transgênicas que combinem pelo menos dois genes diferentes, de acordo com uma resolução publicada ontem no diário oficial local. O novo processo permite que a Argentina aprove grãos transgênicos que combinem dois genes já aprovados anteriormente sem que seja necessária uma análise completa da nova semente. Se não for verificado o efeito conhecido por epitasis (quando a ação de um gene é modificada por outro), a análise feita para cada um dos genes aprovados será suficiente, de acordo com a Associação Argentina de Sementes. Um dos objetivos da resolução é facilitar a aprovação de variedades de milho modificadas para resistir tanto ao herbicida glifosato quanto à toxina Bt, que é venenosa para os insetos. O país tem mais de 17 milhões de hectares plantados com sementes transgênicas, ficando atrás apenas dos Estados Unidos. As informações são da Dow Jones.

Fonte: Agência Estado – 8 de fevereiro de 2007