Sono-A-300x200Estudos recentes mostram que a biotecnologia pode ajudar no combate à tripanossomíase africana, mais conhecida como a Doença do Sono. Esse mal, que afeta milhares de pessoas na África Subsaariana, também causa perdas de quase um bilhão de dólares na produção de gado local todos os anos.

A doença do sono tem tratamento caro, difícil e pode levar à morte. Entre seus sintomas, além da sonolência, estão febre alta, lesões cutâneas e nas vísceras, dor nas articulações, confusão mental e perturbações neurológicas, como perda de coordenação.

O contágio do ser humano se dá por meio das picadas das moscas tsé-tsé, que atuam como vetores dos agentes causadores, os protozoários Trypanosoma brucei gambiense e Trypanosoma brucei rhodesiense. Por essa razão, pesquisadores da PLOS Neglected Tropical Diseases, uma entidade que coordena estudos sobre diversas doenças tropicais no mundo inteiro, estão procurando uma forma de tentar eliminar a tripanossomíase da vida dos mais de 30 mil infectados na África. Segundo eles, a ideia é modificar geneticamente os microrganismos transmissores da doença para impedir que o mal se alastre. De acordo com os cientistas, a expectativa é de que a doença desapareça definitivamente no longo prazo. Se a técnica for bem sucedida, seria possível utiliza-la também no combate à malária e à doença de Chagas.

Fonte: PLOS – 18 de Outubro de 2013