Cientistas de Uganda desenvolveram uma banana transgênica com teor de vitamina A até seis vezes maior do que a quantidade deste nutriente presente em frutas convencionais. Esta característica foi conseguida por meio da inserção de dois genes de uma espécie vegetal chamada narciso e um gene de um microrganismo. A mesma técnica já foi utilizada para produzir vitamina A em plantas de arroz.

Segundo Andrew Kiggundu, diretor da Organização Nacional de Pesquisa Agrícola (NARO, na sigla em inglês), essa nova variedade pode estar disponível para consumo em até cinco anos. Ele diz que 52% das crianças ugandenses abaixo dos cinco anos de idade sofrem com a deficiência de vitamina A, o que pode levar a várias doenças, incluindo o nanismo.

Outra linha de pesquisa de Kiggundu tem como objetivo, também por meio da engenharia genética, encontrar uma forma de diminuir o número de mortes causadas por anemia, doença muito comum em países com altos índices de deficiência de ferro na população. A anemia é responsável por 40% das mortes de crianças e 30% dos abortos espontâneos na Uganda.

Fonte: NARO – Agosto de 2012