A AfricaBio, associação que promove o desenvolvimento da biotecnologia na África, declarou que a possibilidade de batatas transgênicas estarem disponíveis para os agricultores africanos será muito bem-vinda.

A afirmação faz referência à introdução de variedades de batata Spunta, desenvolvidas pelo Conselho de Investigação Agrícola. As variedades transgênicas são resistentes à traça-da-batatinha, uma praga que castiga principalmente o pequeno produtor, que não tem os recursos necessários para armazenar a produção em condições ideais.

“Esta batata geneticamente modificada foi desenvolvido pensando no pequeno produtor sul-africano que desempenhará um papel vital na segurança alimentar no futuro”, explicou Joselyn Webster da AfricaBio. Durante seis anos, foram realizadas pesquisas locais a partir do desenvolvimento da variedade transgênica original pelos cientistas da Universidade de Michigan, Estados Unidos.

O Conselho está apresentando a documentação necessária ao Ministério de Agricultura para que avalie a segurança das variedades, a fim de que possam ser utilizadas no plantio comercial. Segundo Webster, a batata transgênica ajudará a evitar perdas de cerca de 5 milhões de dólares causadas pela praga.

FONTE: Agbios – 4 de setembro de 2008