Um estudo publicado no jornal Plant Biotechnology mostra que a beterraba resistente a herbicidas é menos prejudicial ao meio ambiente e à saúde humana do que o produto convencional. O resultado acontece graças à redução do uso de agroquímicos, o que permite menor emissão relativa à produção, transporte e aplicação no campo.
O estudo compara os impactos da beterraba convencional e a GM produzida na Europa. Os autores, da Universidade de Reading, apresentam resultados com base na avaliação do ciclo de vida (LCA) da beterraba. O LCA é um método reconhecido e o objetivo é testar os impactos de um processo ou produto na saúde humana e no meio ambiente.
Fonte: Plant Biotechnology Journal