Joanne Chory | Crédito: Salk Institute

Joanne Chory, uma das biólogas mais importantes do mundo, recebeu o prêmio Breakthrought Prize 2018 por seu trabalho pioneiro com genética vegetal. Ela está recorrendo ao DNA das plantas para decifrar como elas otimizam seu crescimento e transformam a luz solar em energia. O prêmio, criado em 2013 por Sergey Brin, Anne Wojcicki, Mark Zuckerberg, Priscilla Chan, Yuri e Julia Milner, honra as principais conquistas em ciências da vida, física e matemática.

Em sua pesquisa, Chory juntou-se com outros biólogos para fazer com que seus conhecimentos em biologia vegetal contribuíssem para o combate ao aquecimento global. O foco é desenvolver plantas que possam capturar grandes quantidades de carbono em suas raízes e armazenar o carbono no solo por longos períodos. Além das plantas terrestres, a pesquisadora planeja ampliar seus estudos para espécies marinhas.

“Estou verdadeiramente honrada em receber este prêmio e agradecida pelos estudos no campo da genética vegetal serem reconhecidos como essenciais para o desenvolvimento de tudo, desde melhores práticas agrícolas até a mitigação do aquecimento global”, comentou a cientista do Instituto Salk, situado na Califórnia, EUA.

A bióloga americana passou mais de 25 anos decifrando os mecanismos genéticos das plantas. “Nas próximas décadas, à medida que a população humana aumentar de 7 bilhões para 10 bilhões ou mais, vamos exercer uma pressão incrível sobre a capacidade do planeta de nos alimentar. O aquecimento global vai tornar esse desafio ainda mais difícil e, por isso, precisamos desesperadamente de formas de remover o carbono da atmosfera. O estudo da genética vegetal pode ser uma parte fundamental para a solução dessa problemática”, concluiu a bióloga.

 

Fonte: Salk, novembro de 2017.