Muitos acreditam que uvas sem caroço foram desenvolvidas por meio de transgenia, mas a verdade é que elas surgiram há séculos, muito antes dos transgênicos. Também chamadas de “apirênicas”, as uvas sem sementes podem ser obtidas por partenocarpia (quando o fruto se desenvolve sem fecundação) ou estenoespermocarpia (situação em que ocorre a fecundação, mas os embriões não se desenvolvem). As variedades apirênicas mais antigas são a Black Corinto e a Sultanina, sendo a segunda responsável por originar a maioria das variedades de uvas de mesa comercializadas hoje. Esse tipo de fruta não é o mesmo usado para a produção de vinhos finos, a espécie vinífera.

Interessados na diferença genética entre as frutas com e sem sementes, cientistas brasileiros analisaram duas uvas, a Chardonnay, que possui sementes, e a Sultanina, que não as tem. O trabalho, coordenado pelo pesquisador Luís Fernando Revers, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) em Bento Gonçalves (RS), identificou que o gene VviAGL11 tem grande participação nesse processo. “Nos últimos dez anos de investigação, existiam hipóteses sobre a formação da semente na uva, mas não certezas. Nossa equipe comprovou que o gene é importante para esse desenvolvimento”, resumiu Revers. A descoberta foi publicada no publicado no Journal of Experimental Botany, da Universidade de Oxford, no Reino Unido.

Segundo Revers, que tem se debruçado sobre o tema desde 2004, após dominar as diferenças genéticas entre as frutas, o próximo passo é repassar os resultados ao setor de melhoramento da Embrapa, para que sejam usadas ferramentas de biotecnologia no desenvolvimento de variedades com características de interesse.

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) revela que, nas últimas duas décadas, o mercado internacional de uvas de mesa tem crescido cerca de 26% a cada ano. De acordo com a Embrapa, os primeiros registros brasileiros de aprimoramento genético datam do final do século XIX.

 

Fonte: Journal of Experimental Botany, Oxford, Março de 2017