A proteína produzida pelas cabras transgênicas é utilizada na fabricação de medicamentos para tratamento de diferentes condições de deficiência imunológica

A única cabra transgênica capaz produzir o medicamento hG-CSF em seu leite teve seus primeiros descendentes em 2011. A pesquisa que deu origem aos animais foi desenvolvida pelo Laboratório de Fisiologia e Controle da Reprodução (LFCR) da Faculdade de Veterinária (FAVET) da Universidade Estadual do Ceará (UECE). O medicamento em questão é uma proteína muito utilizada no tratamento de diferentes condições de deficiência imunológica, o Fator Estimulante de Colônia de Granulócitos Humano (hG-CSF).

Os pesquisadores do laboratório realizaram a fecundação de cabras não-transgênicas com sêmen de um macho geneticamente modificado e conseguiram sete filhotes. Testes de DNA comprovaram que quatro deles são transgênicos (dois machos e duas fêmeas). Já a fêmea transgênica em cujo leite já foi detectada a presença da proteína, deu origem a três crias, uma delas geneticamente modificada.

Para o professor Vicente Freitas, coordenador do LFCR e presidente da Sociedade Brasileira de Tecnologia de Embriões (SBTE), o nascimento dos filhotes foi um grande passo para formação de um futuro rebanho transgênico que seja capaz de produzir o hG-CSF em seu leite e possibilite produzir o medicamento em escala comercial.

Fonte: Boletim CNPQ – Março de 2011