A maioria dos mamíferos tem uma visão colorida apenas parcial, porque não tem na retina um dos três tipos de receptores sensíveis às cores encontrados em humanos e outros primatas. Mas a engenharia genética pode compensar esse déficit, como mostra um estudo publicado esta semana na revista Science. A equipe de Gerald Jacobs, da Universidade da Califórnia em Santa Bárbara (EUA), produziu uma linhagem de camundongos transgênicos nos quais foi inserido o gene humano responsável por produzir o receptor sensível à luz em comprimentos de onda mais longos que faltava aos roedores. Testes de identificação de painéis e luzes coloridas mostraram que os camundongos modificados tornaram-se capazes de distinguir as cores não detectáveis por roedores convencionais. Os resultados indicam que a inserção do gene levou à formação de circuitos neurais para processar os sinais recebidos pelos novos receptores – mais uma mostra da grande plasticidade do cérebro dos mamíferos.

Fonte: Ciência Hoje – 22 de março de 2007