Variedade geneticamente modificada (GM) tem menor quantidade de lignina em sua composição

Cientistas do Instituto de Tecnologia da Geórgia (EUA) obtiveram uma nova variedade de capim forrageiro que possui menor quantidade de lignina, substância que se acumula nas paredes celulares, unindo-se às fibras de celulose, e confere rigidez ao tecido vegetal.

O capim, ou switchgrass, é um pasto perene de alto rendimento de biomassa considerado uma fonte em potencial para obtenção de etanol nos Estados Unidos. Entretanto, a alta concentração de lignina prejudica o processamento para produção do biocombustível, sendo necessário um pré-tratamento para modificar sua estrutura.

A redução do composto leva à consequente redução nos custos de produção de etanol, uma vez que parte do pré-tratamento será evitada. A quantidade de lignina foi diminuída pelo silenciamento do gene responsável pela expressão de uma enzima que participa de sua síntese.

O aumento de rendimento da produção de etanol com a variedade GM foi de 38% em relação à tradicional.

Fonte: ISAAA – Junho de 2011