Uma cebola geneticamente modificada para que ninguém chore ao cortá-la é a novidade em transgênicos da Nova Zelândia. A variedade foi apresentada e discutida, em conjunto com as novas modificações de alho e alho-porró, em uma audiência na comarca de Christchurch, para analisar a possibilidade de ensaios de campo.

Além do benefício extra da cebola não provocar lágrimas, as variedades em questão foram desenvolvidas para apresentar melhor sabor e benefícios à saúde, além de maior resistência a pragas.

O pesquisador Colin Eady, representante da equipe neozelandesa de Pesquisa em Cultivos e Alimentos, explicou que esses avanços apontam para “grandes benefícios na produção de alimentos” e situou a Nova Zelândia na ponta da lista mundial de avanços científicos. Ele ainda sublinhou que, hoje, “um quinto dos cultivos no mercado mundial é desenvolvido por meio da modificação genética”.

Fonte: Agro-Bio México – 19 de setembro de 2008