Na planta geneticamente modificada (GM), cerca de 10% de seu conteúdo proteico é composto pela albumina humana

Cientistas chineses conseguiram obter em uma planta de arroz transgênico a proteína humana albumina. Esse composto, encontrado no sangue humano, é usado em larga escala pela indústria farmacêutica – cerca de 500 toneladas por ano – para a produção de vacinas e remédios relacionados ao tratamento de queimaduras e cirrose.

Atualmente, essa proteína é obtida por doação de sangue ou cultivo em soro, o que dificulta seu uso em larga escala e aumenta o risco de contaminações por vírus.
De acordo com o estudo, publicado no final do mês de outubro, a transgenia em plantas é uma alternativa para que compostos úteis, a exemplo de medicamentos, sejam produzidos de maneira economicamente mais viável.

A composição físico-químico da proteína do arroz é tão efetiva quanto a da extraída do sangue, segundo a pesquisa. Os cientistas envolvidos no projeto conseguiram extrair 2,75 g da proteína humana por quilo de arroz transgênico. Aproximadamente 10% do conteúdo proteico da planta GM é composto pela albumina humana.

O próximo passo é avaliar o uso comercial da albumina do arroz, processo que pode levar cerca de dez anos.

Fonte: Los Angeles Times – 31 de Outubro de 2011