Sally Mackenzie, geneticista da Universidade de Nebraska (USA), acredita ter encontrado a “chave genética” da esterilidade masculina em plantas. Ela encontrou um gene que controla mudanças nas mitocôndrias, estruturas responsáveis pela produção de energia nas células e que também contêm DNA. Inserindo DNA exógeno no gene descoberto, foram observadas mudanças nas mitocôndrias, que “disparam” a macho-esterilidade. Os trabalhos iniciais foram desenvolvidos na planta Arabdopsis e a descoberta tem potencial significativo para aplicação em cultivos comerciais.

A macho-esterilidade facilita os programas de melhoramento de plantas para produzir sementes híbridas de melhor qualidade e com maior potencial produtivo. Também ajuda a diminuir as preocupações com relação à transferência de características de plantas GMs para outras não-modificadas geneticamente. Porém, fontes de macho-esterilidade não são existentes em algumas plantas, como a soja, ou limitadas em outras, como o milho.

Clique aqui para ler a matéria completa, em inglês.