Elisabeth Bryant, de 63 anos, voltou a enxergar depois de ter sido submetida a um transplante de célula retirada da retina de um feto que sofreu aborto. Os detalhes da experiência foram publicados recentemente na revista New Scientist.

Outros seis pacientes com doenças degenerativas nos olhos receberam transplante semelhante e aguardam os resultados. Segundo o médico Robert Aramant, que desenvolveu a técnica na Universidade de Louisville, esse é o caminho que aponta para a reversão de doenças consideradas incuráveis.

Apesar de não haver legislação específica nos Estados Unidos, o grupo de cientistas recebeu autorização da Food and Drug Administration (FDA) para continuar os transplantes.

Igualmente promissora é a notícia que vem da Universidade de Toronto, no Canadá, que anunciou que as células-tronco da retina de adultos são capazes de formar as células que promovem a reparação do olho que sofre de alguma doença.

Apesar de ainda ter sido testada apenas em animais, os cientistas estão confiantes. O diretor do comitê científico do Royal College de Oftalmologistas, David Wong, comemora. “Nós saudamos pesquisas com células-tronco já que elas oferecem esperança para pacientes sofrendo de condições degenerativas”.

Fonte: BBC Brasil