O surgimento do café transgênico ficou mais próximo depois que cientistas brasileiros alcançaram 50% do mapeamento do genoma do café. Nos últimos dez meses, um time de pesquisadores no Brasil conseguiu identificar aproximadamente 100 mil sequências de regiões expressas do DNA genômico de plantas de café, o que permitirá a obtenção de plantas mais resistentes e um produto de melhor qualidade.

“Agora queremos saber mais sobre o que os genes fazem”, explica o chefe da equipe de pesquisa do projeto do Instituto Agronômico de Campinas (IAC), Carlos Colombo. Ele informa que o próximo passo, no próximo ano, será identificar seqüências genéticas-chave para descobrir suas propriedades. O principal objetivo, comenta Colombo, é aumentar a qualidade e agregar valor ao produto.