Um grupo da Universidade Federal do Rio de Janeiro, coordenado pela pesquisadora Márcia Margis, vem fazendo pesquisas para desenvolver variedades de arroz geneticamente modificado, que sejam mais resistentes aos danos causados por insetos, se comparados aos produtos convencionais. O desenvolvimento de novas variedades de arroz, mais resistentes às pragas e mais adaptadas às modernas técnicas agronômicas, é essencial para manter a produtividade e reduzir o impacto causado por inseticidas no meio ambiente. O arroz constitui um dos mais importantes cereais do mundo. Estima-se que a população consumidora de arroz está crescendo 1,8% ao ano e, como conseqüência, a sua produção precisa aumentar das atuais 560 milhões de toneladas/ano para 850 milhões de toneladas/ano em 2025. Atualmente, a produção brasileira representa apenas 2% dos números mundiais e acaba sendo consumida internamente no país. Esse texto você encontra no seguinte endereço: (http://www.biologia.ufrj.br/labs/lgmv/pbpro1.htm)