Pesquisadores do Instituto de Psiquiatria da King’s College, em Londres, identificaram um gene que pode estar ligado à propensão ao consumo de álcool. De acordo com a pesquisa, publicada na revista científica PNAS, o gene RASGRF2 eleva o nível de dopamina presente no cérebro. Esse hormônio, associado à sensação de prazer e felicidade, é acionado com a ingestão de bebidas alcoólicas.

“Nós descobrimos que o gene RASGRF2 é importante para controlar a maneira como o álcool estimula o cérebro a lançar dopamina no organismo”, comenta o professor Gunter Schumann, que liderou a pesquisa. “Quando a pessoa apresenta uma variação neste gene, o álcool lhe fornece uma sensação de prazer ainda maior e isso, no futuro, poderá acarretar  problemas como o alcoolismo”, diz.

Outros fatores ambientais e genéticos estão envolvidos no desenvolvimento da compulsão alcoólica, entretanto, a descoberta do RASGRF2 pode ser o primeiro passo para que, no futuro, seja possível detectar quais pessoas seriam mais propensas ao consumo excessivo de álcool. Por ora, a identificação de fatores de risco pode contribuir na prevenção e na descoberta de novos tratamentos para a doença.

Testes em ratos de laboratório realizados pela equipe de pesquisadores da King’s College verificaram que a ausência do gene está diretamente relacionada a uma redução significativa nas chances de desenvolver alcoolismo, já que inibe a ação da dopamina no cérebro.

Fonte: King’s College London – 03 de dezembro de 2013