Em laboratório, foram geradas mais de 70 plantas resistentes a solos com alto teor de sal

Como resultado de mais de quatro anos de pesquisa, cientistas chilenos desenvolveram plantas cítricas geneticamente modificadas (GM) tolerantes à salinidade. O trabalho, liderado pelo professor Patricio Arce, da Universidade Católica do Chile, gerou em laboratório mais de 70 plantas resistentes à condição de alta salinidade, dentre as quais foram selecionadas as que possuem maior efetividade.

A segunda fase do projeto é a avaliação das variedades em campo. As experiências serão conduzidas no Vale do Copiapó e vão priorizar variedades de interesse comercial. Os testes serão efetuados em condições de biossegurança controlada, com autorização do Serviço de Agricultura e Pecuária do Chile. As avaliações periódicas levarão em conta o crescimento vegetativo, caracterização morfológica e ecofisiológica.

Outras instituições também participam do projeto: a Fundação para Desenvolvimento Frutícola (FDF), a Associação de Exportadores Frutícolas (ASOEX) e a empresa Unifrutti Traders Ltda.

Fonte: Universidade Católica do Chile– março de 2012