Os pesquisadores B.W. Poovaiah e Linqun Du, da Washington State University, descobriram um modo de controlar o crescimento final das plantas. Alterando um gene específico eles são capazes de mudar o tamanho das plantas e diferentes alterações podem resultar no que pode ser chamado de plantas com tamamho-engenheiradas, em referência à engenharia genética, para atender necessidades específicas dos agricultores.

O trabalho dos pesquisadores foi publicado na Nature e a patente do processo foi solicitada. De acordo com Poovaiah, plantas cujo tamanho pode ser controlado são ferramentas poderosas contra a fome no mundo. “Plantas anãs requerem menos água e são mais resistentes ao vento e à chuva do que as normais”, disse Poovaiah. Com isso, as plantas podem usar mais de sua energia para produzir mais sementes e frutos do que folhas, por exemplo.

Ele compara a descoberta ao desenvolvimento na década de 60 de variedades semi-anãs de trigo que impulsionou a produção do cereal no Terceiro Mundo como parte da Revolução Verde.

Parte do financiamento das pesquisas veio da NASA para desenvolver plantas que sejam pequenas, porém que cresçam saudáveis dentro de ambientes confinado ou mesmo de naves espaciais, como forma de fornecer tanto oxigênio quanto alimento fresco durante longas missões.

Mais informações e fotografias sobre os experimentos do professor Poovaiah podem ser obtidas no site http://molecularplants.wsu.edu/calcium/.

Fonte: Seed Quest / 28 September 2005