As laranjeiras modificadas são resistentes ao inseto vetor do greening, doença que ameaça a produção de cítricos em todo o mundo

Cientistas da Universidade de Cornell, Estados Unidos, desenvolveram laranjeiras geneticamente modificadas (GM) que oferecem resistência a uma doença bacteriana que tem ameaçado a produção de cítricos em todo o mundo. As árvores foram modificadas para serem imunes ao Diaphorina citri, inseto responsável pela transmissão do greening da laranja, doença que faz com que os frutos fiquem permanentemente verdes, com gosto amargo, medicinal e azedo.

Kerik Cox and Herb Aldwinckle, pesquisadores envolvidos no estudo, identificaram alguns genes que naturalmente expressavam a característica inseticida em bactérias, fungos e plantas conhecidas por afastarem alguns tipos de insetos. Posteriormente, por meio da biotecnologia, os possíveis genes de resistência ao inseto vetor do greening foram inseridos em plantas de tomate para testar sua eficiência. Uma vez que alguns tomateiros apresentaram a característica desejada, os genes foram transferidos para uma variedade de laranja.

Aldwinckle espera que os resultados dos primeiros testes com as laranjeiras transgênicas estejam disponíveis em um ano.

O Greening foi identificado inicialmente na Flórida em 2005 e, desde então, espalhou-se por todos os países produtores de frutas cítricas. O atual combate ao Diaphorina citri é feito por meio do uso de inseticidas e do corte de árvores contaminadas.

Fonte: Cornell University – Janeiro de 2012