Pela primeira vez, dois entomologistas identificaram vários genes nas glândulas da mosca Hessian, conhecida como mosca do trigo, cuja saliva pode ser responsável por causar alteração nos componentes da planta.

O objetivo da pesquisa – que está sendo desenvolvida pelos cientistas Ming-Shun Chen e seu colega Xuming Liu, da Agricultural Research Service and Kansas State University (KSU) –, é dotar o trigo de condições para resistir à saliva, que contém elementos venenosos. O prejuízo anual causado pelo inseto é estimado em US$ 100 milhões.

O que faz a mosca Hessian ser tão perigosa é sua habilidade de literalmente “reinventar-se”. Ela ataca o trigo dos EUA e é capaz de mudar, produzindo condições novas de vencer variedades de trigo resistentes criadas pelos cientistas.

Em conseqüência, dentro de um círculo vicioso, é preciso desenvolver novas variedades da planta, o que se torna cada vez mais difícil, tão alto o grau de resistência que precisam ter. Assim, a idéia é conseguir uma solução mais estável. O próximo passo na pesquisa é determinar se os genes da mosca recentemente encontrados e os genes das plantas são associados à virulência dos diferentes tipos desse inseto.

Leia também a notícia completa, em inglês.