Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Toledo, em Ohio (EUA), criou uma variedade de petúnia que pode sobreviver a temperaturas muito baixas, quando outras flores acabariam morrendo em duas horas. O cientista Paranj Madasamy, um dos integrantes da equipe, disse que esse é apenas o início do trabalho de produção de espécies de flores resistentes a baixas temperaturas.

“Podemos transformar qualquer tipo de flor utilizando este gene”, disse Madasamy, referindo-se ao método utilizado na pesquisa. A alteração genética também confere tolerância à seca e à salinidade, esclareceu o cientista, professor-assistente do Plant Science Research Center.

O grupo espera que o trabalho possa beneficiar os produtores de flores do Nordeste de Ohio, reduzindo os custos de aquecimento da plantação. “Quando você está competindo com produtores fora da Flórida e da Califórnia, é uma grande coisa”, salienta Madasamy.