O trigo GM foi desenvolvido a partir da introdução de um gene de cevada em variedades locais de trigo. Os pesquisadores do “Cairo´s Agricultural Genetic Engineering Research Institute” (AGERI) disseram que o produto reduz o número de necessidade de irrigação de oito para uma apenas. A equipe do AGERI espera desenvolver a técnica considerando questões de Biossegurança com objetivo de comercializar as sementes do trigo GM como o primeiro produto geneticamente modificado no Mercado do Egito. O trabalho que foi aceito para publicação no periódico “Physiologia Plantarum” foi apresentado mês passado num simpósio de biotecnologia agrícola aplicada, realizado no Egito e organizado pelo AGERI e pelo “Egyptian Centre for Biotechnology Information”

O estresse causado pela seca é o principal fator limitante para a produtividade no cultivo de plantas no mundo. Seguindo os experimentos de laboratório, o trigo GM foi testado em casas de vegetação e no campo. Os testes de campo foram conduzidos por três safras, a partir de 2001-2002. Na safra de 2002-2003, o líder das pesquisas, o geneticista de plantas Ahmed Bahieldin e seus colaboradores compararam o crescimento do trigo GM com o de variedades locais sob condições normais de regime de chuva, sem irrigação. As plantas geneticamente modificadas foram maiores e tiveram maior produtividade do que as convencionais.
Fonte: SciDev.Net /14 October 2004