O objetivo é encontrar novas formas de tratamento para a doença que já atinge cerca de 14 milhões de pessoas em todo o mundo

Um grupo internacional de pesquisadores sequenciou o genoma do barbeiro (Rhodnius prolixus), um dos transmissores mais comuns da doença de Chagas. Até então, a ciência só havia sequenciado o DNA do Trypanosoma cruzi, parasita causador da doença e transmitido para o homem por meio da picada de mais de 65 espécies de besouros, conhecidos também como barbeiros.

Agora, os responsáveis pelo estudo esperam encontrar novas formas de tratamento e de prevenção para o chaguismo, que mata cerca de 15 mil pessoas por ano e já atinge aproximadamente 14 milhões em todo o mundo. Segundo especialistas, quase 80% dos infectados estão na América Latina, o que equivale a um total de 11 milhões de pessoas portadoras da doença.

A pesquisa, que demorou mais de uma década para ser concluída, foi desenvolvida por uma equipe da Universidade Federal do Rio de Janeiro, que atuou em parceria com outras instituições do Brasil, Argentina, Canadá, Estados Unidos e Uruguai. Segundo Pedro de Oliveira, o responsável pelo estudo, o próximo passo é descobrir um mecanismo de inibição do parasita transmissor da doença.

Fonte: Vector Base, maio de 2012