O objetivo é identificar os genes envolvidos no envelhecimento das plantas e tentar “desligá-los”

Algumas flores resistem melhor do que outras ao processo de envelhecimento, que nas plantas se chama senescência. No futuro, graças à biotecnologia, o tempo que as flores vão permanecer frescas poderá ser aumentado. Para isso, o fisiologista botânico Cai-Zhong Jiang e colegas do Serviço de Pesquisas Agrícolas do Departamento de Agricultura dos EUA (ARS) estão estudando o mecanismo genético que controla o envelhecimento das plantas.

Para descobrir o gene responsável por esse processo, os cientistas vão expor as plantas ao vírus TRV (Tobravirus) com genes de interesse dela própria nele inseridos. Nesta técnica, as plantas que são expostas ao vírus geneticamente modificado acionam um mecanismo de defesa para o “desligamento” do vírus. Como o vírus vai conter genes da própria planta, ela vai estar automaticamente desligando também algumas de suas funções. Isso pode levar, eventualmente, a descoberta do gene que provoca a senescência.

Para provar este conceito, Jiang e o professor Michael S. Raid da Universidade da California-Davis conduziram experimentos usando uma petúnia roxa exposta ao vírus com um gene que confere cor. Isto resultou em flores com manchas brancas que podem ser evidências de que os genes de coloração no vírus foram desligados.

Fonte: USDA – Junho de 2010