Durante séculos, as pessoas do norte da África e Oriente Médio têm contado com camelos para transporte, produção de lacticínios e alimentação. Agora, cientistas de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, descobriram que esses animais podem, também, fornecer medicamentos.

Nos últimos anos, a ciência tem dado importantes passos para o desenvolvimento de camelos geneticamente modificados. A ideia é, segundo os pesquisadores, que os animais produzam proteínas medicinais em seu leite e ajudem a combater doenças como diabetes, obesidade e enfisema.

Para tanto, os cientistas estão desenvolvendo células geneticamente modificadas (GM) que contenham genes que codifiquem proteínas de interesse para os seres humanos. O próximo passo, para que os camelos produzam insulina em seu leite, por exemplo, é a introdução de células com genes que codificam essa proteína em embriões do animal para, posteriormente, serem inseridos em camelos fêmeas. A substância poderia ser extraída do leite do animal GM.

Segundo o Dr. Nisar Wani, um dos responsáveis pela pesquisa, camelos são animais adequados para a pesquisa porque são altamente resistentes a doenças e adaptáveis a diferentes climas.

Fonte: The National, Junho de 2012