Cientistas do Departamento de Pesquisas em Agricultura dos EUA (ARS) adicionaram genes do licopeno e outros carotenóides ao fungo Fusarium sporotrichioides, que cresce no milho. O licopeno é um pigmento que dá a cor vermelha ao tomate e, acredita-se, traz benefícios à saúde, particularmente na prevenção de certos cânceres.
Timothy Leatheres, da ARS em Peoria, Illinois, disse que existe mais potencial para usar o fungo modificado para uma produção em massa do licopeno do que na obtenção do carotenóide dos tomates.
Dados preliminares mostram que o fungo modificado tem capacidade de produção de 0,5mg de licopeno por grama em cinco dias no laboratório. O próximo passo é aumentar a escala de estudos para introduzir o fungo em fermentos para aumentar a produção média da fibra do milho.