Quinze das mais importantes academias e instituições científicas italianas assinaram conjuntamente um documento intitulado “Segurança Alimentar e OGMs”, por meio do qual ratificam a segurança dos alimentos geneticamente modificados para o consumo humano e animal. De acordo com o texto, os OGMs são testados e controlados como nenhum outro produto destinado à alimentação e regidos por normas sem paralelo no que envolve sua produção industrial.

Além disso, a comunidade científica italiana ressalta a necessidade de focar as pesquisas não na tecnologia em si, mas na análise dos derivados dessa tecnologia e no estudo, caso a caso, dos produtos geneticamente modificados.

O documento aponta ainda que as conclusões a que chegaram os cientistas vão ao encontro do que vem sendo divulgado pelas mais prestigiosas organizações internacionais, e destacam a posição da European Union Research, segundo a qual “o uso de uma tecnologia tão precisa e de testes tão acurados provavelmente fazem dos OGMs produtos até mais seguros que os convencionais”.