O Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia da Guatemala (CONCYT, na sigla em espanhol) anunciou a realização de um projeto que aplica a biotecnologia para produzir sementes geneticamente modificadas e, assim, melhorar a qualidade dos alimentos.

O país está interessado em trabalhar em conjunto com os demais países da Mesoamérica, região que compreende parte do México, El Salvador, Belize, Honduras, Nicarágua e Costa Rica, com o objetivo de criar, em consórcio, um instituto de genética em que serão desenvolvidas sementes transgênicas para a região.

Rafael Espada, vice-presidente da Guatemala e presidente do CONCYT, está ciente da necessidade de realizar ações coordenadas entre o governo, o setor empresarial, os agricultores e o banco comercial para promover a pesquisa e a ciência na região.

Além disso, Espada assegurou que se buscarão maneiras para que os agricultores utilizem as sementes geneticamente modificadas em suas lavouras e assim obtenham boas colheitas.

“Só com a combinação entre pesquisa e desenvolvimento acadêmico é que podemos melhorar os produtos alimentícios agrícolas no país”, opinou o vice-presidente.

O CONCYT também informou sobre a realização, em breve, de estudos para confeccionar um mapa genético agrícola nacional.

Fonte: AgroBio Colômbia – 17 de julho de 2009