A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) aprovou hoje em reunião plenária, em Brasília (DF), a liberação comercial de uma variedade algodão tolerante ao herbicida glufosinato de amônio.

Após avaliar diversos pareceres de membros da comissão e de especialistas externos, a comissão julgou que, dentro das legislações de biossegurança, a variedade é segura para a saúde humana e animal e para o meio ambiente.

A variedade de algodão liberada hoje pela CTNBio já é plantada nos Estados Unidos desde 2003. Esse é o segundo tipo de algodão transgênico liberado no Brasil, e o primeiro a trazer a característica da resistência a herbicida, o que reduz os custos com o controle de ervas daninhas. Ao lado de um algodão resistente a insetos aprovado em 2005, a nova semente ampliará as opções de tecnologia disponíveis para o cotonicultor brasileiro.