Conhecida por seus investimentos na área da saúde, a ilha de Cuba abre os cofres para a biotecnologia. O governo cubano destinou US$ 1 bilhão para o desenvolvimento do seu Centro de Engenharia Genética e Biotecnologia.

Os cientistas locais já produzem, entre outros produtos, uma vacina contra a hepatite B vendida em mais de 30 países. Cuba também fabrica um interferon recombinante que reforça o sistema imunológico de pacientes com câncer e a vacina da meningite tipo B. Ainda estão no pipeline de Cuba uma injeção que cicatriza úlceras e melhora a circulação em diabéticos e vacinas contra cólera e hepatite tipo C.

Enquanto isso, na China, o Centro de Informações em Agricultura e Biotecnologia divulgou um relatório que revela avanços significativos no desenvolvimento do “super arroz híbrido”. O documento Crop Biotech Update in China descreve também um gene que confere maior produção de lisina e proteínas no milho, em comparação às versões convencionais.

Fontes: Chicago Tribune / 19 December 2005 / Copyright: Chicago Tribune e Crop Biotech / 16 December 2005 / Copyright: Crop Biotech Net