Pesquisadores japoneses descobriram que um processo que leva à perda de pelos em camundongos pode também ocorrer em humanos, levando à queda de cabelo.  O estudo foi publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS).

Os pelos são submetidos a ciclos, que envolvem fases de crescimento, repouso e queda. Há regeneração periódica dos folículos pilosos e isso se dá por meio da diferenciação das células-tronco. Trata-se de um mecanismo genético em que a falta do gene sox21 acarreta perda progressiva de pelos da cabeça e cauda, o que resulta em alopecia (perda repentina de pelos ou cabelos em regiões específicas) permanente.

Segundo o estudo do pesquisador Yumiko Saga, do Instituto Nacional de Genética do Japão, o gene pode ajudar na síntese de queratina, proteína fibrosa que é um componente da epiderme, dos cabelos, unhas e pelos.

Camundongos GM que não têm o sox21 apresentam menor índice dessas proteínas, em comparação com animais que contem o nível padrão do gene.
 
De acordo com os pesquisadores, o gene sox21 pode estar envolvido com a diferenciação de células-tronco que formam a camada mais externa dos fios. Isso pode indicar que o sox21 poderia ser responsável pela perda de cabelos em humanos, mas novos estudos serão necessários para comprovação

O artigo completo (The disruption of sox21-mediated hair shaft cuticle differentiation causes cyclic alopecia in mice, de Yumiko Saga e outros) pode ser lido por assinantes no site da PNAS.

Fonte: Agência FAPESP – 26 de maio de 2009